UTI Aérea

11/10/2019 – Resgate ou Transporte Aeromédico UTI Aérea? Diminuindo os Riscos para maior segurança do Paciente

Um dos grandes dilemas do Transporte Aeromédico desde o seu desenvolvimento nos tempos de guerra é a clara definição do que é Resgate Aéreo e Transporte Aeromédico.

Visando oferecer clareza sobre isso, Dr. Pedro Augusto Gontijo Ramos, Médico  com Curso de Especialização em Aeromédico, e um dos profissionais mais requisitados para realizar voos aeromédicos esclarece:
“Resgate Aéreo geralmente ocorre com o deslocamento da aeronave para o local onde houve o incidente ou acidente, priorizando o primeiro atendimento ao paciente.

Já o Transporte Aeromédico e UTI Aérea, ocorre quando o paciente já está em um hospital ou centro de atendimento, geralmente estabilizado e necessita de ser levado para um outro hospital com mais recursos, ou voltar para região familiar.”

Segundo o Dr. Pedro, vários voos acabam se transformando em uma rotina operacional de resgate aéreo em virtude da demora na decisão da execução da transferência.

Ele enfatiza que o voo aeromédico devem ter os seguintes preceitos:

1) Existe uma vaga disponível em um hospital com melhor recurso;

2) O paciente encontra em condição clínica para realização;

3) Seja realizado o voo com a máxima urgência garantindo a melhora do paciente no hospital de destino, pois nem sempre é possível aguardar a melhora significativa do paciente sem colocá-lo em risco mantendo o em um ambiente clínico com menos recursos.